Archive for setembro \28\UTC 2009

Lula: país deve crescer 5% no próximo ano

Posted on 28/09/2009. Filed under: Economia |

Presidente exalta programas sociais e diz que redução de impostos isoladamente não é solução para a crise

Jailton de Carvalho
ISLA DE MARGARITA, Venezuela.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que o Brasil, um dos primeiros países a sair da crise financeira global, deverá crescer 5% em 2010. Lula atribuiu o sucesso da economia brasileira à capacidade de atuação do Estado. Foram os programas sociais, na avaliação do presidente, que mantiveram o consumo de alimentos em alta.

— A economia brasileira está consolidando um crescimento de 5% para 2010 enquanto os países ricos ainda não têm clareza se a crise econômica já chegou ao fim — disse Lula, ao participar da reunião de Cúpula América do Sul-África (ASA).

Ao citar a conversa que teve com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante a reunião do G-20 em Pittsburgh, Lula disse que o Brasil se encontra numa situação melhor que a dos EUA. Enquanto em agosto último foram criados 242 mil empregos no Brasil, os EUA amargaram a perda de 700 mil empregos.

Afirmando que ainda é cedo para celebrar o fim da crise, o presidente Lula disse que é preciso medir o termômetro da economia e ir tomando decisões para cada situação.

Na sua avaliação, foram os programas sociais, como o Bolsa Família, que mais ajudaram o país a se recuperar da crise, e não a redução da carga tributária. A mera redução de impostos, explicou, enfraquece a capacidade de intervenção do Estado na economia. É por isso, disse ele, que nenhum dos países que promoveu diminuição drástica de impostos teve sucesso no combate às desigualdades sociais.

Durante a cúpula, Lula acertou com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, uma parceria entre a Petrobras e a PDVSA para a construção da refinaria Abreu de Lima, em Pernambuco. O acordo deve ser assinado dia 17, quando Lula retornará à Venezuela. Na noite de sábado, sete países da Unasul assinaram acordo de criação do Banco do Sul, como Venezuela, Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Chile — este último, por enquanto, será membro observador.

Anúncios
Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Um freio na violência

Posted on 18/09/2009. Filed under: Cidade, Rio de Janeiro |

Estatística de julho mostra queda nos números de homicídio e de roubo de veículos

Paulo Marqueiro

As estatísticas oficiais divulgadas ontem mostram que, em julho deste ano, houve redução em três dos quatro indicadores de violência considerados estratégicos pelo governo. O número de homicídios dolosos (com intenção de matar) caiu 3,9% em relação a julho de 2008 (passando de 413 para 397). A quantidade de roubos de veículos diminuiu 10,2% (de 2.207 para 1.982) no mesmo período. Os latrocínios (roubos seguidos de morte) tiveram queda de 14,3% (de 21 para 18). Já os roubos de rua (que levam em conta ataques a transeuntes, roubos de celulares e assaltos em coletivos) subiram 2,5% (de 7.349 para 7.558).

De acordo com as estatísticas divulgadas pelo ISP, os autos de resistência (pessoas mortas supostamente em confrontos com a polícia) tiveram aumento significativo: 40% (de 62 para 87). O número de estupros e de atentados violentos ao pudor também subiu (2,6% e 20%, respectivamente). Os roubos em coletivos cresceram 0,3% (de 735 para 737). Já os furtos de veículos tiveram redução de 3,2% (de 1.714 para 1.659). E os roubos de carga caíram 20,2% (passando de 258 para 206).

Beltrame: objetivo é cumprir metas

Também chamam a atenção nas estatísticas anunciadas pelo ISP os chamados sequestros com momentânea privação de liberdade (que duram até 24 horas): em julho deste ano, foram registrados 12 casos, contra quatro no mesmo período de 2008.

O número de roubos a residências também subiu. Em julho de 2009, houve 129 casos, contra cem no mesmo período do ano passado, representando um aumento de 29%. Na última terça-feira, bandidos armados invadiram um prédio de sete andares na Avenida Delfim Moreira 232, no Leblon, e assaltaram moradores de três apartamentos.

Ao divulgar ontem os números de julho — o primeiro mês que leva em conta o novo sistema de metas de redução da criminalidade —, o Instituto de Segurança Pública (ISP) informou que conseguiu cumprir dois dos três percentuais fixados pela cúpula da segurança. Os roubos de rua, por exemplo, poderiam aumentar até 7,2% (subiram 2,5%); os de veículos teriam de baixar 6,4% (a redução foi de 10,2%). Já em relação aos homicídios dolosos, a meta não foi atingida (eles teriam de diminuir 11,7%, mas caíram apenas 3,9%). Se a comparação dos homicídios for feita com base nos meses de maio, junho e julho deste ano, em relação ao mesmo período de 2008, o objetivo fica ainda mais distante: neste caso, o aumento foi de 10,7%.

Beltrame e o tenente-coronel Roberto Gil

Beltrame e o tenente-coronel Roberto Gil

As metas de redução dos índices de criminalidade foram estabelecidas para três tipos de crimes (homicídios dolosos, roubos de veículos e roubos de rua) e para todo o segundo semestre, o que significa que, até dezembro, elas ainda podem ser alcançadas.

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse, durante visita ontem ao Morro Dona Marta, em companhia do ministro da Justiça, Tarso Genro, que as polícias estão empenhadas em cumprir as metas fixadas pelo governo:

— A meta é, sem dúvida, ousada. Temos de persegui-la. Nós temos que correr para atingir essa meta e o desafio é este. As duas polícias estão com essa meta. Ela está dada e é ela que será buscada.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Emprego bate recorde para o mês de agosto

Posted on 18/09/2009. Filed under: Economia |

País abre 242 mil vagas formais, melhor resultado em 17 anos, mas ainda não recuperou todos postos cortados na crise

Geralda Doca
COLABOROU: Vivian Oswald

BRASÍLIA.

O emprego com carteira assinada bateu recorde em agosto com saldo de 242.126 postos. Foi o melhor resultado para o mês nos últimos 17 anos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado ontem pelo Ministério do Trabalho. Entre janeiro e agosto, o país criou 680.034 empregos, mas ainda não retomou ao período pré-crise, quando tinha gerado 1,8 milhão de contratações. Também não conseguiu recuperar todos os 797,5 mil postos eliminados entre novembro, dezembro e janeiro.

Apesar disso, os números do mês passado indicam reação das contratações na indústria, ramo da atividade econômica mais prejudicado pela crise e que foi o segundo maior empregador em agosto, com saldo de 66.564 postos, atrás de serviços (85.568). Mesmo ainda amargando saldo negativo no ano, o resultado registrado pelo setor no mês passado foi quase quatro vezes o obtido em julho.

— Isso é importante, porque muitos analistas gostam de analisar o emprego pelo lado da indústria — destacou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

— O resultado é impressionante e mostra que o país está saindo efetivamente da crise. O emprego é um tema caro e relevante para o governo — reforçou o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Machado.

Comércio cria 56 mil vagas e agropecuária elimina postos

Diante dos números de agosto, o ministro Lupi anunciou que, no próximo mês, vai revisar para cima a meta de criação de um milhão de postos este ano. Segundo ele, a retomada aos níveis pré-crise ocorrerá em 2010 — segundo ele o melhor ano do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em termos de geração de empregos, superando 1,7 milhão de empregos gerados em 2007.

Em agosto, o comércio respondeu por um saldo positivo de 56.813 empregos, seguido pela construção civil (39.957) e a administração pública (3.305). Por fatores sazonais, a agropecuária eliminou 11.249 postos. O Sudeste respondeu pela maior parte das contratações, com saldo de 106.085.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Terapia genética cura daltonismo em macacos

Posted on 18/09/2009. Filed under: Ciência |

Estudo abre caminho para tratar doenças graves de visão

GAINESVILLE, Flórida

 A terapia genética pode ser a saída para corrigir o daltonismo, a incapacidade de diferenciar cores, principalmente o verde do vermelho. Cientistas das universidades de Washington e da Flórida usaram com sucesso a técnica para tratar o defeito genético — o mais comum em humanos — em dois macacos-de-cheiro. O estudo abre ainda caminho para solucionar outros problemas graves, como a degeneração macular relacionada à idade e a retinopatia diabética, que podem causar cegueira.

No estudo na edição online da revista “Nature”, os autores introduziram genes terapêuticos em células sensíveis à luz, localizadas na parte de trás dos olhos dos animais.

— Adicionamos sensibilidade para o vermelho às células cônicas, responsáveis pela visão das cores e visão central. E isso foi feito com segurança — disse William W. Hauswirth, da Universidade da Flórida.

Para levar os genes terapêuticos, foi usado um adenovírus inofensivo. Os genes produzem a proteína essencial para formar pigmentos sensíveis ao vermelho e verde. Na pesquisa, as equipes treinaram durante anos os macacos para que pudessem indicar quais as cores estavam vendo.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Pesquisa mostra alta na renda dos brasileiros

Posted on 04/09/2009. Filed under: Economia |

Houve ganhos em todas as classes e aumentou a sobra no orçamento. Estudo foi tema de debate no GLOBO

O brasileiro está chegando no fim do mês com mais sobra no orçamento — o que é consequência do aumento da renda familiar em todas as classes sociais. A renda disponível (ou seja, a sobra do orçamento no fim do mês que vai para consumo ou poupança) da classe D/E, por exemplo, mais do que triplicou de 2007 para 2008. É o que mostra a pesquisa “Observador Brasil 2009”, feita em parceria por Cetelem e Ipsos-Public Affairs. Os dados foram apresentados ontem no “2ºPainel de Tendências”, ciclo de debates realizado no auditório do GLOBO.

A apresentação do estudo foi feita por Marcos Etchegoyen, vice-presidente da Cetelem. Em seguida, houve uma mesa redonda com Paulo Roberto Cidade, diretor de Atendimento da Ipsos-Public Affairs; Alberto Almeida, autor do best seller “A cabeça do brasileiro”, colunista do jornal “Valor Econômico” e diretor do Instituto Análise; e Rogério Zylbersztajn, vice-presidente da RJZ Cyrela. O debate teve a mediação da colunista do GLOBO Flávia Oliveira.

De acordo com o estudo, a renda disponível da classe A/B subiu de R$506 em 2007 para R$834 em 2008 (alta de 64,8% de um ano para o outro). A da classe C avançou de R$147 para R$212 (44,2%) e a da classe D/E, de R$22 para R$69 (213,6%).

— Isso foi possível porque todas as classes tiveram melhoras na renda familiar em 2008 — disse Etchegoyen, ressaltando os avanços da renda familiar de 16,5% na classe A/B, de 13% na C e de 12% na D/E.

Na avaliação de Etchegoyen, o ano de 2008 marcou a consolidação da classe C no país — que teve um acréscimo em torno de 20 milhões de pessoas em dois anos. De 2006 para 2007, cerca de 12 milhões pessoas migraram das classes D/E para C.

— Esses 12 milhões representam duas vezes a população de Portugal. E passaram a adquirir bens, a consumir. E um reflexo disso é o crescimento da demanda por crédito — disse Etchegoyen, acrescentando que o volume de crédito no país já atingiu R$267 bilhões.

MARCOS ETCHEGOYEN, Paulo Cidade, Alberto Almeida, Rogério Zylbersztajn e Flávia Oliveira, no seminário

MARCOS ETCHEGOYEN, Paulo Cidade, Alberto Almeida, Rogério Zylbersztajn e Flávia Oliveira, no seminário

O estudo mostrou como o consumidor reagiu à crise financeira. Segundo a pesquisa, em março deste ano, 58% dos brasileiros acreditavam que a crise certamente atingiria o bolso. Em dezembro de 2008, eram 39%.

— Hoje, a demanda por crédito já está em patamar de pré-crise — comentou Etchegoyen.

Segundo Cidade, a crise afetou menos a confiança do brasileiros em comparação com outros países. Na Europa e nos Estados Unidos, os indicadores de confiança estavam em patamares de 10% a 15% em fins ano passado. No Brasil, 60%.

— No primeiro semestre de 2009, enquanto no Brasil a confiança caía, outros países começavam a melhorar. O fato positivo é que não caímos tanto quanto eles caíram.

Para Zylbersztajn, o setor de construção civil sentiu pouco a crise. Ele conta que agosto de 2008 bateu todos os recordes de vendas. Setembro e outubro, contudo, foram um desastre. Mas, em agosto de 2009, um novo recorde foi quebrado.

— Aconteceu o irracional: o mundo não quebrou naquele setembro negro — disse Zylbersztajn, frisando que a a classe C dá novo fôlego à construção civil. — Hoje há dificuldade em vender imóveis de luxo. Os imóveis de “Minha casa, Minha Vida” são vendidos no lançamento.

Carga tributária, um entrave para a expansão do consumo

Almeida lembrou ainda da importância da Bolsa Família no consumo das classes mais baixas e no crescimento do crédito. Disse ainda que houve uma mudança de patamar de consumo do brasileiro. Ele acrescentou que há alguns entraves para o crescimento do consumo, como a carga tributária que encarece os preços dos artigos.

— A classe C tende a continuar a crescer. E a classe C brasileira quer as mesmas coisas que a classe A e B tem.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Pesquisa constata: a felicidade mora no Rio

Posted on 04/09/2009. Filed under: Cidade, Rio de Janeiro |

Carla Rocha

O Rio é a cidade mais feliz do mundo. A conclusão é de uma pesquisa da empresa americana GfK Custom Research que, digamos assim, mediu o grau de alegria da nossa e de outras 50 cidades do mundo. O “termômetro da felicidade“, que pôs os cariocas lá no topo do ranking internacional, virou notícia na edição online da “Forbes”. A reportagem da revista, conhecida por divulgar as listas dos mais ricos, é a prova de que dinheiro não traz felicidade: Sidney (Austrália), um dos lugares mais caros do planeta, ficou atrás do Rio.

Segundo a reportagem, o mundo é fascinado pelo Rio desde quando Ginger Rogers e Fred Astaire bailavam no filme “Flying down to Rio”, da década de 30. Simon Anhyolt, consultor da GfK, disse, na reportagem, que “O Brasil está associado a bom humor e à ideia de bem viver. O carnaval é muito importante porque transmite a imagem clássica de felicidade que as pessoas têm da cidade (…). É um lugar para onde todo mundo gostaria de ir”.

A felicidade em Sydney — conhecida pelo clima agradável, por belos pontos turísticos e pela Opera House — é grande, mas não se iguala à do Rio, segundo a pesquisa. O resultado aumentou a alegria do prefeito Eduardo Paes:

— O mundo descobriu o que nós já sabemos: o Rio é o melhor lugar para viver e trabalhar. Que outra cidade é capaz de reunir tanta natureza, cultura e vida urbana? Posso garantir que não existe prefeito mais feliz do que o da Cidade Maravilhosa.

Superintendente do Rio Convention Bureau, Paulo Senise atribuiu tanta felicidade à tolerância e à multiplicidade racial e cultural. E, claro, à praia.

— A praia é uma imensa sala de estar em que todos são iguais — diz, ressaltando que a simpatia do carioca é muito elogiada em pesquisas com turistas.

A antropóloga Alba Zaluar concorda, mas ressalva que tem feito estudos sobre o paradoxo da cidade:

— De um lado, uma violência que cresce por conta de uma política de segurança desastrosa; de outro, esta alegria contagiante. Na Place des Vosges, em Paris, tem música clássica na rua, mas os músicos não interagem com o público e faz um frio danado.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Custo de higiene deve cair 50%

Posted on 04/09/2009. Filed under: Economia | Tags: |

Itens como sabonete e escova dental sofrerão redução de preço após inclusão na cesta básica estadual

Bernardo Moura
bernardo.moura@extra.inf.br

Os preços de pasta de dente, papel higiênico, escova dental e sabonete podem cair mais de 50% com a inclusão desses itens na cesta básica estadual. Foi publicado no Diário Oficial de ontem o sinal verde do governador Sérgio Cabral (PMDB) ao projeto de lei que inclui esses produtos de higiene no rol que, até então, continha apenas alimentos.

A queda no preço ocorrerá por conta de uma lei estadual que prevê redução de 19% para 7% da carga tributária que incide sobre os produtos da cesta básica. O percentual, referente em grande parte ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), é cobrado do comerciante quando ele compra do fornecedor.

Na venda ao consumidor, o imposto é zerado, segundo a Secretaria estadual de Fazenda. Mas, ainda de acordo com a pasta, os estabelecimentos costumam elevar um pouco o preço para garantir o lucro. Ainda assim, o desconto deve se manter acima de 50%, de acordo com o órgão.

Análise

A Secretaria estadual de Fazenda explicou que o projeto, de autoria do deputado estadual Wilson Cabral (PSB), ainda precisa ser destrinchado pelo governo. Na análise, serão determinadas as especificações dos novos produtos que integrarão a cesta básica. Somente itens que se encaixarem nos parâmetros serão contemplados com a redução de preço, e não todos os produtos existentes no mercado. Ainda não há prazo para a divulgação das especificações.

Numa grande rede de supermercados da cidade, uma escova de dentes custa, hoje, R$2,33. Com a redução estimada em 50%, ela passará a valer R$1,16. Um sabonete que atualmente é vendido por R$0,69 sairá por R$0,34. A cesta básica do Rio, que, até então, contava com 19 itens alimentícios, engordará sua lista para 23 produtos, após a inclusão dos artigos de higiene.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Concessionárias estão otimistas

Posted on 03/09/2009. Filed under: Geral |

Lojistas esperam compensar no último mês de IPI zerado a queda nas vendas de veículos novos

Max Leone
max.leone@extra.inf.br

Após registrar queda de 9,56% nas vendas de automóveis de passeio de julho para agosto, segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), as concessionárias esperam ter um setembro melhor. As revendas acreditam que vão ficar lotadas de consumidores no último mês de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) zerado para modelos 0km, mas temem que falte carro novo para tanta gente. Já para o comprador, o risco é o de não levar o bem de imediato e perder a vantagem da isenção de IPI.

Se houver disponibilidade apenas para outubro, por exemplo, a nota de compra sairá com o preço do veículo reajustado, devido ao aumento gradativo do imposto. O IPI zerado de veículos 1.0 valerá até 30 de setembro. Em outubro, a alíquota subirá a 1,5%; em novembro, será dobrada para 3%; em dezembro, chegará a 5%; e, em janeiro de 2010, voltará a 7%.

De acordo com os lojistas, as encomendas estão aquecidas e a expectativa é a de aumentar o volume das vendas em setembro:

— Tenho 700 veículos para vender este mês, mas há 900 pedidos de venda agendados — disse Marcos Canto, gerente da Itavema, da Fiat, na Rua São Francisco Xavier.

Na Dirija (Chevrolet), em Campinho, a expectativa do gerente Wilson Mathias é a de vender de 120 a 130 carros novos em setembro. Em agosto, 90 saíram da loja.

Segundo os vendedores, os preços continuam convidativos. Um Uno 1.0 básico modelo 2010 sai por R$21.490.

Queda nas vendas

Dados da Fenabrave, considerando automóveis e comerciais leves, mostram que 247.525 unidades foram vendidas em agosto, o que representou um crescimento de 7,12% em relação ao mesmo mês no ano passado. De janeiro a agosto, as vendas chegaram a 1.914.770 unidades — uma alta de 3,94% na comparação com igual período em 2008.

A redução do IPI foi responsável por 13,4% das vendas de automóveis no país no primeiro semestre de 2009. Foram comercializadas 191 mil unidades, segundo o Instituto de Pesquisa de Economia Aplicada (Ipea), o que garantiu a manutenção de 50 mil a 60 mil empregos diretos e indiretos no primeiro semestre.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Brasil está a uma vitória do Mundial

Posted on 03/09/2009. Filed under: Esportes |

Basquete

Seleção supera facilmente o México, por 92 a 61, na Copa América

SAN JUAN. O Brasil está a uma vitória da vaga no Mundial da Turquia, em 2010. Ontem, a seleção brasileira derrotou o México, por 92 a 61 (45 a 29), pela primeira rodada das quartas-de-final da Copa América, disputada em San Juan de Porto Rico e que classifica quatro seleções para o Mundial. A equipe brasileira está invicta, com cinco vitórias.

Na rodada de hoje, o Brasil jogará com o Canadá, às 14h30m. Uma nova vitória deixará a seleção com a vaga nas semifinais e no Mundial. Amanhã, os brasileiros vão enfrentar os uruguaios, e na sexta-feira os donos da casa, Porto Rico. Ainda hoje, jogam Panamá x Uruguai (17h); Argentina x México (19h30m); e República Dominicana x Porto Rico (22h). O Brasil e os Estados Unidos são os únicos que jamais deixaram de ir a um Mundial.

ALEX (8) SOBE para a bandeja, mesmo marcado pelo mexicano Alonzo (12), na fácil vitória brasileira

ALEX (8) SOBE para a bandeja, mesmo marcado pelo mexicano Alonzo (12), na fácil vitória brasileira

Dominicanos e argentinos vencem na rodada

O cestinha brasileiro, como nas partidas anteriores, foi Leandrinho, com 18 pontos. Anderson Varejão obteve dez pontos e 12 rebotes. Guilherme saiu do banco e brilhou.

— Precisamos de mais uma vitória para ir ao Mundial. Vamos pensar jogo a jogo — disse ele, que marcou 10 pontos.

 Ontem, mais uma vez, o Brasil ganhou sem levar 70 pontos. No primeiro quarto, a equipe se impôs desde o começo, com Anderson Varejão muito eficiente na defesa. No ataque, a equipe era veloz e escolhia sempre o jogador mais bem colocado para o arremesso. O México ainda equilibrava as ações, graças às bolas de três, mas o Brasil fechou o quarto em 24 a 17. A equipe brasileira cresceu na defesa a partir da metade do segundo quarto e não teve dificuldades diante de uma seleção sem padrão tático e que, por problema político interno, não usa no uniforme o nome nem a bandeira do país, mas a logomarca do patrocinador. No intervalo, o Brasil vencia por 45 a 29.

No terceiro quarto, sempre superior, a seleção brasileira abriu 64 a 40, numa vantagem de 24 pontos, e o técnico da seleção, Moncho Monsalve, aproveitou para dar chance aos que têm ficado mais tempo no banco, como Duda, Diego, Olivinha e Tavernari. Sem deixar o ritmo cair, a seleção brasileira fechou o quarto em 69 a 45. No último período, com a grande maioria de reservas na quadra, o Brasil continuou absoluto. Chegou a abrir 89 a 59, em 30 pontos de diferença, antes de fechar as contas em 92 a 61.

 Também ontem, a República Dominicana venceu o Uruguai por 80 a 76; e a Argentina bateu o Canadá: 67 a 51. Brasil: Huertas (9), Leandrinho (18), Alex (2), Anderson Varejão (10) e Tiago Splitter (5). Entraram: Marcelinho (4), JP Batista (11), Guilherme (10), Tavernari (9), Duda (4), Diego (6) e Olivinha (4). México: Quintero (13), Pedroza (10), Alonzo Chavez (10), Horácio Llamas (4) e Ayon (2). Entraram: Zuñiga (4), Parada (8), Real (4), Ayala (3), Jesus López (3) e Torres.

 TRANSMISSÃO: Sportv, ESPN Brasil, Bandsports e Esporte Interativo

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...