Archive for agosto \31\UTC 2009

Contra a crise e em nome da produtividade

Posted on 31/08/2009. Filed under: Economia |

Empresas contratam especialistas para ensinar seus funcionários a organizar as finanças pessoais e a poupar

Juliana Rangel

O agravamento da crise financeira internacional fez com que grandes empresas do país dessem um passo à frente e procurassem ajuda profissional para orientarem seus funcionários a poupar e a investir. Por trás da estratégia está a convicção de que empregado endividado é menos produtivo: falta mais ao trabalho para ir ao banco e renegociar os débitos, tem maior incidência de brigas conjugais e dificuldades em concentrar-se nas suas atividades profissionais.

Em 2009, a média de cursos dados pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) sobre finanças pessoais a pedido de empresas foi de quase oito por mês. Em outubro do ano passado, quando a situação era mais preocupante após a quebra em setembro do Lehman Brother’s, o número chegou a 26.

A gerente de desenvolvimento organizacional da Net de São Paulo, Andrea Campos, conta que os funcionários passaram a questionar mais a crise nos últimos meses. Em maio, a empresa contratou os serviços da Bolsa para a “Jornada do desenvolvimento”, semana voltada para o aprendizado de funcionários e parceiros da empresa, incluindo terceirizados.

— A crise não era um problema para a Net, pois estávamos em fase de contratação. Mas alguns dos cônjuges de nossos funcionários tinham sido desligados das empresas em que trabalhavam e aquele seria o momento adequado para falar disso. Todos estavam ávidos para debater o tema — diz.

Turbulência preocupa também quem está empregado

A gerente dos programas de popularização da BM&F Bovespa, Patricia Quadros, confirma que a procura foi maior na fase de turbulência. Mas ela lembra que a Bolsa só computa a quantidade de cursos dados, e não a demanda das companhias.

— Apesar de não termos dados concretos sobre a demanda, sabemos que, quanto maior a crise, maior a tensão com o assunto. Mesmo as pessoas que estão empregadas se preocupam, pois tentamos estimular o pensamento no futuro — diz.

A Light também adotou a estratégia de orientar financeiramente seus empregados e incluiu o tema em seu Programa de Qualidade de Vida, oferecido a funcionários. No ano passado, contratou uma consultoria especializada em gestão de finanças pessoais e fez 13 palestras, em dez unidades da empresa, com participação de 700 empregados.

Neste ano, a empresa planeja fazer um curso online, e publicará os módulos ensinados na internet para que familiares e amigos dos empregados também possam aprender. Entre os temas estão como fazer um orçamento, planejar gastos e gerenciar investimentos.

A consultora Cássia Aquino se dedica há alguns anos à organização de estratégias de ensino e orientação para empresas, para que elas possam desenhar seu próprio programa de educação financeira. Segundo a especialista, a maior demanda vem de setores cujas atividades envolvam algum risco. É o caso das siderúrgicas, por exemplo.

— São áreas em que os funcionários precisam ter maior concentração — afirma.

Na sua avaliação, um funcionário preocupado com dívidas tende a faltar mais ao trabalho, adoece com maior facilidade e tem a saúde física e mental mais fragilizada.

— Os meus trabalhos têm sido feitos há um longo tempo, mas acho que a crise fez crescer o desespero das pessoas de maneira geral — diz.

Reconhecer as dificuldades é o mais difícil, diz especialista

Para a especialista, a maior dificuldade enfrentada pelas pessoas, de maneira geral, é o controle dos gastos.

— Os gastos fixos são mais fáceis de controlar, mas há outros que devem ser anotados. O primeiro passo é reconhecer o problema da falta de controle do orçamento — diz.

CARLOS GUEDES vivia endividado e, agora, está até poupando: "Dificuldade era não saber aonde ia meu dinheiro"

CARLOS GUEDES vivia endividado e, agora, está até poupando: "Dificuldade era não saber aonde ia meu dinheiro"

Aos 26 anos, o gestor comercial Carlos Guedes dificilmente conseguia fazer o dinheiro chegar ao fim do mês. Após assistir a um curso na empresa em que trabalha, está conseguindo economizar 25% de seu salário. O que mudou?

— Coloquei tudo na ponta do lápis e tirei coisas supérfluas do meu dia a dia, como cafezinho, coxinha de galinha, coisas bobas. Passei a dar valor para os pequenos gastos e fiquei mais disciplinado. Jogo tudo numa planilha e descobri que a minha maior dificuldade era não saber para onde estava indo o meu dinheiro — afirma.

 

GERALDO TOLENTINO: "Agora, já pagamos tudo o que devíamos"

GERALDO TOLENTINO: "Agora, já pagamos tudo o que devíamos"

Para o técnico eletricista Geraldo Tolentino, a maior lição foi a renegociação de dívidas:

— Depois do curso, fiz uma reunião no fim de semana com minha mulher e decidimos renegociar as dívidas do cartão de crédito e do cheque especial. Agora, já pagamos tudo o que devíamos e estou investindo em um curso de inglês para minha filha — orgulha-se.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Ficou pronto o projeto que transforma o antigo Cine Olaria em centro cultural.

Posted on 31/08/2009. Filed under: Cidade, Rio de Janeiro |

Ficou pronto o projeto que transforma o antigo Cine Olaria em centro cultural. Foto Divulgação
Foto Divulgação
Ficou pronto o projeto que transforma o antigo Cine Olaria em centro cultural. Foto Divulgação

Foto Divulgação

 Ancelmo Gois

Desativado há 13 anos, o antigo Cine Olaria será transformado em centro cultural. Lojas, bares, restaurantes e novas salas de cinema vão ocupar os três mil metros quadrados de área, numa reforma orçada em R$9 milhões e comandada pela Secretaria estadual de Obras, de Luiz Fernando Pezão. O projeto (veja a ilustração) contempla, ainda, a urbanização dos acessos, criando uma via de pedestres e promovendo, até que enfim, a tão esperada revitalização da Rua Uranos, uma das principais da Leopoldina e casa do famoso Cacique de Ramos. Ponto para a cultura!

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Copa: governo pretende treinar 300 mil pessoas

Posted on 29/08/2009. Filed under: Cidade, Rio de Janeiro |

Ministério lança curso de idiomas on-line para taxistas, garçons e outros profissionais

O Ministério do Turismo pretende treinar 300 mil profissionais do setor em 65 cidades brasileiras, incluindo as 12 sedes da Copa de 2014, nos próximos quatro anos. O objetivo é melhorar o atendimento ao visitante durante o evento. Os pacotes de cursos estão sendo fechados, mas deverão aproveitar programas de treinamento que o ministério já mantém com entidades do setor. O anúncio foi feito ontem pelo ministro Luiz Barreto, no lançamento do “Olá! Turista”, curso on-line gratuito de inglês e espanhol voltado para taxistas, garçons, camareiras, recepcionistas, telefonistas e guias de turismo, entre outros profissionais.

Fruto de uma parceria do ministério com a Fundação Roberto Marinho, o “Olá! Turista” preparará, até dezembro do ano que vem, 80.500 pessoas no Rio, em Salvador e Manaus, além de dez cidades turísticas no entorno dessas capitais. O treinamento custará inicialmente R$13,9 milhões. Mas é intenção do governo federal estender o curso, a partir de 2011, às outras oito capitais onde ocorrerão os jogos e cidades próximas.

Segundo o ministro do Turismo, deverão figurar entre os módulos de capacitação profissional temas como boas maneiras e manuseio correto de alimentos. O treinamento em idiomas, contudo, vem sendo encarado como o mais importante e que deixará um legado:

— Com a qualificação profissional, queremos dar um salto de qualidade no nosso (turismo) receptivo — disse Barreto.

Para atender quem não tem computador em casa, a Fundação Roberto Marinho está fechando convênios com empresas e entidades que contem com telecentros. O presidente da fundação, José Roberto Marinho, ressaltou a importância do treinamento na qualidade de vida dos profissionais:

— Temos acumulado experiência em cursos à distância há 30 anos com algum sucesso. Com certeza, o legado desse curso vai ficar para sempre na vida dessas pessoas.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Transplante de DNA para evitar doenças

Posted on 27/08/2009. Filed under: Ciência |

Estratégia semelhante é a base de polêmica técnica de reprodução assistida. Teste teve êxito

Cientistas deram um passo importante para evitar a transmissão de doenças hereditárias graças a uma técnica que troca genes entre óvulos e os usa para produzir embriões saudáveis. O método é semelhante à polêmica transferência de citoplasma, já usada experimentalmente para gerar bebês de proveta — neste caso, a troca serve para “rejuvenescer” óvulos de mulheres mais velhas que não conseguem engravidar naturalmente.

Crianças nascidas por esses métodos têm duas mães biológicas: uma é a dona do DNA nuclear; a outra entra com o citoplasma e o material genético mitocondrial. A nova técnica foi testada em macacos e pesquisadores estão convencidos de que ajudarão mulheres portadoras de defeitos no DNA mitocondrial a terem filhos saudáveis.

As mitocôndrias são as usinas de energia das células e seu DNA é passado só de mãe para filho. Mutações mitocondriais causam doenças em músculos e nervos, além de diabetes e câncer. No estudo da Universidade do Oregon, apresentado na “Nature”, cientistas pegaram o DNA do núcleo do óvulo de uma macaca com mutações hereditárias e o transferiram para o óvulo de uma doadora, cujo próprio DNA nuclear havia sido removido. Depois, fertilizaram o óvulo e o implantaram na dona do DNA nuclear. Com a técnica, conseguiram gerar três filhotes, sem defeito genético. O método precisará passar por análises éticas e de segurança antes de ser testado em seres humanos.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Duas mil vagas só para ensino fundamental

Posted on 26/08/2009. Filed under: Vida Ganha |

 Há oportunidades para trabalhar em lojas, área de limpeza, obras, restaurantes e serviços domésticos

Ana Paula Viana

Há seis meses desempregada, a garçonete Mauricéia Santana, de 47 anos, está na lista de profissionais que têm experiência de sobra, mas esbarram num dos maiores obstáculos para quem está em busca de trabalho: a falta do ensino médio (antigo 2º grau).

— As exigências estão aumentando, mas não desanimo de jeito algum. E é isso que me dá força para levantar todos os dias e enfrentar filas em busca de uma oportunidade — conta a garçonete.

Segundo a recrutadora da agência Ascese Recursos Humanos Giselle Bastos, a concorrência acirrada no mercado tem feito os empregadores aumentarem o nível de exigência. Mas nem por isso as chances para quem tem ensino fundamental (antigo 1º grau) desapareceram. É o que mostra um levantamento feito pelo EXTRA em balcões de emprego e consultorias. São 2.284 oportunidades para trabalhar em lojas, restaurantes, obras, área de limpeza e serviços domésticos.

Mauricéia Santana pretende voltar a estudar para ter mais chances no mercado de trabalho

Mauricéia Santana pretende voltar a estudar para ter mais chances no mercado de trabalho

Prática é diferencial

Se o problema é a falta do ensino médio, o ideal, de acordo com Giselle Bastos, é que o profissional se destaque, seja por ter uma ampla experiência na função ou por ter feito cursos de aperfeiçoamento profissional.

— Para quem tem um histórico de trabalho em muitas funções diferentes é mais complicado. As empresas, hoje em dia, querem o profissional com ensino médio completo e costumam abrir exceções apenas em casos de funções mais operacionais, em que a experiência é o diferencial — explica.

A garçonete Mauricéia Santana sabe bem que os estudos podem fazer a diferença e já planeja voltar à escola.

— Sempre quis terminar os estudos, mas, quando a gente começa a trabalhar, fica mais complicado. Nem sempre é possível se dedicar da melhor forma. Minha ideia agora é a de conseguir terminar o ensino médio e aumentar minhas chances.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Confira a relação com 4.881 vagas oferecidas

Posted on 25/08/2009. Filed under: Economia, Vida Ganha | Tags: |

Agências de recursos humanos, empresas e sindicatos selecionam candidatos de todos os níveis de escolaridade

Soma RH

Atendente de loja (25); atendente de loja de roupas (4 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); auxiliar de confeiteiro (5); auxiliar de cozinha (30); auxiliar de jardinagem (10); auxiliar de limpeza (100); auxiliar de maquinista (4); camareira (2); chefe de cozinha (10); confeiteiro(a) (5); coordenador(a) (10); copeiro(a) (20); cozinheiro(a) (15); cumim (2); encarregado(a) de limpeza (10); mecânico hidráulico (3); serralheiro (5); supervisor(a) de franquias (2); vendedor de celular (30). Comparecer à Avenida Rio Branco 80, 3º andar, Centro do Rio, com currículo e documentos; enviar currículo para juliana.martins@somaservice.com.br; ou cadastrar-se no site http://www.allis.com.br.

KS RH

Auxiliar de cozinha (4); auxiliar de estoque de cozinha industrial (2); auxiliar de produção (30 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); encapsulador(a) (2); gerente de operações (1); propagandista (2); repositor(a) de hortifruti e mercearia (3). Comparecer à Avenida Rio Branco 37, sala 1.101, Centro do Rio, com currículo e documentos. Cadastro também pelo site http://www.ksrecursoshumanos.com.br.

New Job RH

Auxiliar de confeiteiro (2); engenharia (1); vendedor de materiais de construção (3). Comparecer à Rua Fonseca 580, sala 301, Bangu, com currículo e documentos; ou encaminhar currículo para o e-mail curriculos@newjob.com.br, discriminando a vaga no “assunto”.

Dinâmica

Ajudante de caminhão (20); ajudante de cozinha (10); assessor(a) financeiro (3); atendente de consultório de acupuntura (5); atendente de restaurante (3); auxiliar de creche (5); auxiliar de departamento fiscal (25); auxiliar de departamento pessoal (10); auxiliar de escritório (2); auxiliar de produção de pescados (10); auxiliar de turma (2); babá (150); balconista de autopeças (5); balconista de lanchonete (2); balconista de loja de material de construção (20); camareira (16); coletor(a) de sangue (8); costureiro(a) (5); cozinheiro(a) (20); cumim (20); doméstica (200); eletricista de automóveis (10); encarregado(a) de mecânica (10); estoquista de material de construção (20); faxineiro (2); garçom (10); garçonete (4); instalador de informática (2); lancheiro (15); mecânico automotivo (10); mecânico a diesel (25); mestrinho (5); motoboy (15); motorista de caminhão (5); motorista de Kombi (2); operador(a) de caixa (8); operador(a) de telemarketing ativo (10); pizzaiolo (10); recepcionista hospitalar (5); saladeiro (20); técnico eletrônica (10); técnico de informática (5); vendedor de materiais de construção (20); vendedor de moda feminina (25); vendedor(a) externo (5); vendedora por telefone (5). Comparecer à Avenida Dom Hélder Câmara 7.797/2º andar, Abolição, CEP: 20.751-000, com currículo atualizado e documentos.

Crescer RH

Analista contábil (1); analista fiscal (3); atendente de fast food (15); bilheteiro (30); encarregado de lanchonete (3); vendedor de carros (10). Enviar currículo pelo site http://www.crescerhrio.com.br ou entregá-lo na Praça Pio X 55, grupo 504, Candelária, Centro do Rio.

Adapta RH

Atendente de loja (5 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); atendente de loja (2 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); auxiliar de auditoria (5); bombeiro hidráulico (5); caldeireiro(a) (1); carpinteiro de esquadria (6); carpinteiro de forma (10); coordenador(a) de logística (1); eletricista de manutenção predial e corretiva (3); fiscal de loja (50); funileiro(a) (2); ladrilheiro (6); maçariqueiro (2); mecânico de refrigeração (3); montador de estruturas metálicas (2); operador de estacionamento (30); operador(a) de torno (3); repositor(a) (40); serralheiro (4). Comparecer à Rua Senador Dantas 80, sala 1.604, Centro do Rio, CEP: 20.031-201, com currículo e documentos; encaminhar currículo para o mesmo endereço, discriminando a vaga no envelope; ou para o e-mail cadastro@adapta-rh.com.br, discriminando a vaga no campo “assunto”.

Cristal-Rio

Ajudante de cozinha (com experiência em cozinha industrial) (2); ajudante de motorista (com carteira da habilitação) (1); analista de contabilidade (com conhecimento de sistema Prosoft e experiência ICMS, DCTF, DECLAN, DACON, DP, balanço e balancete) (1); aprendiz de marceneiro (1); assistente administrativo-financeiro (1); assistente de diretoria (1); assistente de escrita fiscal (com curso técnico em contabilidade, com experiência em sistema Prosoft e ICMS, cálculos e apurações) (1); assistente financeiro (com inglês) (2); assistente financeiro (com vivência de 2 anos em rotina financeira, que de preferência esteja cursando ciências contábeis) (1); atendente de recepção (com carteira da habilitação, inglês fluente e que more em Niterói) (4); auditor(a) (1); auxiliar administrativo – portador de necessidade especial (2 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); auxiliar contábil (conhecimento de toda rotina contábil, apuração de impostos e experiência em classificação) (1); auxiliar contábil (com conhecimento de faturamento e experiência em classificação e impostos) (1); auxiliar de departamento pessoal (2); auxiliar de escrita fiscal (1); auxiliar de produção (1); auxiliar de serviços gerais (com experiência em hotel) (2); bibliotecário(a) (1); camareira (2); comprador(a) (oriundo de confecção) (1); confeiteiro de cozinha industrial (1); costureiro(a) (3); cozinheiro a la carte (1); desenhista projetista (com experiência em elétrica) (1); eletricista (com experiência em alta e baixa tensão) (1); embalador(a) de móveis (1); encarregado de sala técnica (com formação técnica em edificações ou estradas, experiência em topografia e Autocad) (1); encarregado(a) de serviços gerais (com inglês fluente e administração de hotelaria) (1); estagiário de contabilidade (1); governanta (1); inspetor(a) de educação (1 vaga destinada a portador de necessidades especiais); lancheiro (1); lavadeira de lavanderia (1); marceneiro (1); montador(a) de forno e fogão (1); motorista para Kombi (1); porteiro(a) (1); programador .net (Visual Basic 6, VB.NET, ASP.NET e Javascript) (1); projetista de Autocad (com experiência em desenhar em pranchetas e peças para moldes plásticos) (1); recepcionista bilíngue (com carteira da habilitação e inglês) (1); recepcionista bilíngue (com carteira da habilitação e inglês) (2); revisora de confecções (1); técnico de segurança do trabalho (1); vendedor de moda feminina (1); vendedor(a) (com experiência em autopeças) (1); vendedor(a) externo (com carro próprio e experiência em vendas de prestação de serviços) (1); vendedor(a) técnico (com inglês) (1). Comparecer à Rua Senador Dantas 80/201, Centro do Rio, com currículo e documentos, e procurar por Rose, Sandra ou Valentina.

Boa Gente RH

Açougueiro (30); ajudante de cozinha (40); ajudante de produção (48); assistente administrativo (1); atendente de loja de conveniência (18); auxiliar de serviços gerais (10); balconista de laticínios (10); balconista de salgados (8); churrasqueiro para restaurante comercial (2); comprador (1); contínuo (4); estoquista de cozinha industrial (1); frentista (18); informática (1); inspetor(a) de qualidade (1); nutricionista de dietoterapia (1); office-boy (4); operador de caixa para papelaria (15); operador de máquina de sopro (45); operador(a) de caixa (60); peixeiro (15); portador de necessidades especiais (88); promotor de vendas de editora (45); promotor de vendas de livraria (45); repositor de livraria (35); saladeiro (1); secretária executiva bilíngue (1); técnico em mecânica (4); vendedor de editora (18); vendedor de livraria (18). Comparecer à Avenida das Américas 3.959, loja 210, Barra da Tijuca, das 8h às 16h, e deixar currículo na portaria, discriminando a vaga no envelope.

Dom Graphein

Administrador(a) (1); ajudante de marceneiro (3); armador (5); assistente administrativo (2); assistente comercial (3); auxiliar de serviços gerais (18); chefe de cozinha (8); consultor(a) comercial (2); consultor(a) de vendas (4); coordenador(a) de suprimentos (3); encarregado de obras (2); encarregado(a) (1); engenheiro (1); engenheiro(a) de produção (1); engenheiro(a) de vendas (2); gerente de contas (1); marceneiro (2); mestre de obras (1); operador de loja (20 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); operador de telemarketing (13); operador(a) de caixa (20 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); supervisor(a) de telemarketing (2); vendedor(a) (2); vendedor(a) interno (1). Agendar entrevista pelos telefones (21) 2507-5317 / 2224-9193; ou encaminhar currículo para o e-mail recrutamento@domgraphein.com, discriminando a vaga no campo “assunto”.

Afamar RH

Atendente de loja de roupas (30); auxiliar de caixa (30); gerente de loja (10); promotor externo (40); vendedor(a) (60). Comparecer à Rua Evaristo da Veiga 55, 9º andar, Centro do Rio, de terça a sexta-feira, das 8h às 13h, procurando por Fabiana. Os candidatos podem entregar o currículo na recepção da empresa ou se cadastrar no site http://www.afamar.com, inscrevendo-se nas oportunidades em aberto ou no cadastro de currículos. O preenchimento do cadastro de currículos é rápido. Basta responder algumas perguntas e anexar o currículo em formato Word.

Elitherh

Auxiliar de serviços gerais de supermercado (30 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); auxiliar de serviços gerais de supermercado (30 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); meio oficial de manutenção (2); operador(a) de telemarketing (200). Comparecer à Avenida Rio Branco 120, 11º andar, sala 1.107 C, no horário comercial e deixar o currículo na portaria do prédio, discriminando a vaga no envelope; ou encaminhar currículo para o e-mail: amanda@elitherh.com.br, discriminando a vaga no “assunto”.

Alike RH

Faxineiro (4); gerente de loja (1); mensageiro (1). Comparecer à Rua Washington Luiz 9, sala 503, Praça Cruz Vermelha, Centro do Rio, com currículo e documentos; enviar currículo pelos Correios, discriminando a vaga no envelope; ou para o e-mail curriculo@alikerio.com.br, discriminando a vaga no campo “assunto”.

Futura CLM

Assistente administrativo (2); assistente de importação e exportação (1); auxiliar de cobrança (1); promotor externo (10); repositor (10); vendedora por telefone (1). Comparecer à Rua do Arroz 90, sala 268, Penha Circular, com currículo e documentos.

Ascese RH

Ajudante de caminhão (2); analista de contabilidade (1 vaga destinada a portadores de necessidades especiais); assistente administrativo-financeiro (2 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); assistente de departamento pessoal (1); assistente de escrita fiscal (3); assistente de escrita fiscal (1); auxiliar de cobrança (3); auxiliar de departamento pessoal (2); auxiliar de estoque (5); auxiliar de expedição (3); auxiliar financeiro (2 vagas destinadas a portadores de necessidades especiais); estagiário técnico em administração (1); estoquista (2); manobrista (10); operador(a) de telemarketing ativo (2); promotor(a) de eventos (5); secretária trilíngue (2); supervisor(a) de vendas (2). Comparecer à Avenida Nilo Peçanha 50, grupo 201, Centro do Rio, das 9h às 16h, com currículo e carteira profissional.

Skipper RH

Armador (5); bombeiro hidráulico (10); eletricista (10); ladrilheiro (20); mestre de obras (5); pedreiro (20); pintor(a) (10). Comparecer à Avenida Presidente Vargas 542, 21 andar, Centro do Rio, CEP: 20.071-000, com currículo e documentos; enviar currículo pelos Correios; ou encaminhá-lo para o e-mail carla.rhskipper@gmail.com.

RH Vendas

Gerente de loja (2); operador(a) de telemarketing ativo (100); representante comercial (15); supervisor(a) de telemarketing (10); supervisor(a) de vendas (com inglês fluente) (7); vendedor de celular (30); vendedor(a) externo de iluminação (com experiência) (5); vendedor(a) interno de moda/acessórios (3). Cadastro pelo site http://www.rhvendas.com.br, no link “Nossas Vagas”.

Pool RH

Ajudante de caminhão (com experiência em transportadora) (4); analista contábil (15); analista fiscal (15); atendente de fast food (40); auxiliar de estoque (10); auxiliar de logística (5); auxiliar de serviços gerais para trabalhar com limpeza e manutenção de fachadas (rapel) (200); chefe de serviço (30); lancheiro (6); operador(a) de telemarketing ativo (400); supervisor(a) de telemarketing (10); vendedor interno e externo (com experiência em alimentos) (4). Ir de segunda a quinta-feira, às 9h ou às 13h30m, à Avenida Presidente Vargas 482, salas 1.411/12, no Centro do Rio.

Ribeiro & Brito

Analista de RH (1); estagiário em design gráfico (1); help desk (5); médico auditor (3); operador(a) de telemarketing ativo (400); supervisor de contas médicas (2); supervisor(a) de contabilidade (1). Comparecer à Rua Visconde de Inhaúma 134, sala 1.130, Centro do Rio, com currículo e documentos. O endereço é próximo à Candelária e à Praça Mauá.

Select RH

Atendente de fast food (1); auxiliar de almoxarifado (1); auxiliar de escritório (2); frentista (2); gerente de loja de convenienica (1); guardião de piscina (1). Comparecer à Rua Buenos Aires 48, sala 711, Centro do Rio, após as 9h, com currículo e documentos; ou encaminhar currículo para o e-mail recrutamento@selectst.com.br, discriminando a vaga no “assunto”.

RHF Talentos

Ajudante de caminhão (com experiência em transportadora) (1); ajudante de cozinha comercial (2); atendente de cafeteria (1); atendente de lanchonete (2); atendente de laticínios (3); auxiliar contábil (com experiência em toda rotina contábil e sistema Prosoft) (1); cozinheiro comercial (1); encarregado(a) de loja (1); entregador(a) de padaria (3); estagiário em administração (1); laqueador (1); motorista de caminhão-baú (com direção defensiva) (1); operador(a) de caixa (4); pizzaiolo (1); projetista de Autocad (1); supervisor(a) de atendimento (2); técnico em telecomunicações (1); vendedor(a) externo de telecomunicações (5). Comparecer à Avenida Brás de Pina 2.073, sala 302, Vista Alegre; ou enviar currículo para curriculos.rhftalentos@yahoo.com.br.

SLM RH

Administração (5); ajudante de caminhão (11); analista de sistemas (1); assistente administrativo (1); assistente administrativo-comercial (1); assistente administrativo de vendas (1); assistente administrativo-financeiro (3); auxiliar administrativo (5); auxiliar de escritório (4); auxiliar de expedição (9); auxiliar de máquina (13); auxiliar de portaria (2); conferente (5); consultor(a) comercial (4); cozinheiro (2); engenheiro de P.C.P. (1); engenheiro(a) de telecomunicações (3); lancheiro (2); motorista (com carteira de habilitação “A” e “D”) (5); motorista de caminhão (3); motorista/motociclista (3); operador de máquina (6); programador .net (1); projetista cadista (1); supervisora de costura e acabamento (1); vendedor(a) interno (com cartela de clientes ativa) (5). Encaminhar currículo para o e-mail rh@slmrh.com.br, com título da vaga no assunto, ou para Avenida Treze de Maio 33, sala 709, Centro do Rio.

Gama RH

Ajudante de cozinha (3); assistente de marketing (1); auxiliar de distribuição (1); bombeiro hidráulico (20); costureiro(a) (9); cozinheiro júnior (3); eletricista (20); estagiário em direito (1); vendedor(a) externo (1). Comparecer à Rua Uruguaiana 39, Centro do Rio, e deixar currículo na portaria, discriminando a vaga no envelope; ou encaminhar currículo para o e-mail gamaconsultoria@veloxmail.com.br, discriminando a vaga no “assunto”.

Parceria EH

Analista de controladoria (1); assistente de gerente de restaurante (2); auxiliar administrativo (1 vaga destinada a portador de necessidades especiais); auxiliar de confeiteiro (1); auxiliar de produção (3); auxiliar de serviços gerais de cozinha (10); confeiteiro(a) (1); copeira (1); economia (1); engenheiro(a) químico (1); estagiário de engenharia civil (1); estagiário em administração (1); gerente de loja (4); gerente de padaria (1); magarefe (1); motorista (com carteiras de habilitação “A” e “D” (1); pizzaiolo (1); recepcionista de restaurante (1); servente de obra (5); tecnologia da informação (3); vendedor(a) (1); vendedor(a) de loja de shopping (3); vendedor(a) (1). O cadastro deve ser feito pelo site http://www.parceriaconsult.com.br.

Companhia RH – Vila Isabel

Analista de sistemas (1); assistente de contabilidade (1); assistente fiscal (1); auxiliar de contabilidade (2); auxiliar de crédito e cobrança (2); auxiliar de serviços gerais (5); balconista de loja de material de construção (2); balconista de loja de tintas (2); costureiro(a) (2); cumim (2); estagiário em contabilidade (1); estoquista de cozinha industrial (2); garçom (2); gerente de loja (2); manobrista (10); operador de CFTV (10); operador(a) de caixa (40); operador(a) de telemarketing receptivo (300); supervisora de serviços gerais com experiência em hotelaria (1); suporte técnico (100); técnico de eletrônica para manutenção predial (2); técnico de informática (1); televendas (30); vendedor de moda feminina (com nível superior concluído ou em curso) (20); vendedor(a) de loja de rua (20); vendedor(a) externo (com carro próprio) (10). Ir à Rua Visconde de Santa Isabel 20, sala 414, Vila Isabel, com currículo e documentos.

As informações são de responsabilidade das agências de recursos humanos. Em caso de dúvidas, deve-se procurar as empresas.

Ler Post Completo | Make a Comment ( 1 so far )

Fundos ‘small caps’: risco e ganho turbinados

Posted on 24/08/2009. Filed under: Economia |

Valorização no ano chega a 62,70%, mas especialistas ainda acreditam em novas altas para as empresas

Juliana Rangel

A busca por papéis que perderam muito no ano passado e ainda não se beneficiaram totalmente da retomada dos investimentos na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está jogando os holofotes sobre os fundos small caps. Essa alternativa de investimento exclui da carteira papéis de grandes empresas, como Petrobras, Vale, CSN, AmBev e Itaú Unibanco. Têm prioridade empresas com pouca representatividade, mas forte potencial de crescimento.

Até agora, os fundos small caps já acumulam alta de 62,70% no ano. A alta supera até mesmo a dos fundos Ibovespa ativos, que já ganharam 40,27% no período, de acordo com a Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid).

Para o diretor-executivo da área de gestão do BBDTVM, Carlos José da Costa André, os fundos small caps ainda têm a ganhar neste ano. Ele lembra que muitas das ações que compõem suas carteiras são de empresas que estrearam na Bolsa em 2007 e 2008.

— Como havia fluxo abundante de recursos, 70% das compras no lançamento das ações eram feitas por investidores estrangeiros. Quando houve a crise, eles foram forçados a sair e isso afetou o preço dessas ações — diz.

Papéis estão menos relacionados a ‘commodities’

Para ele, aos poucos o investidor deverá voltar ao Brasil. Em um primeiro momento, para as ações mais líquidas e, depois, para as small caps.

A sócia da Oren Investimentos Daniella Marques, está apostando mais no potencial de valorização dessas ações que no Ibovespa. Ela acredita que o Brasil retomará o crescimento econômico mais rapidamente que o restante do mundo, especialmente Europa e Estados Unidos. Por isso, prefere empresas cujo desempenho esteja mais relacionado à economia local.

— Hoje, 55% da composição do Ibovespa é de empresas ligadas a commodities, cujos preços são dependentes do crescimento global e não à expansão interna. Existem setores de grande representatividade no PIB (soma de bens e serviços) brasileiro que se beneficiarão da retomada da atividade econômica e que não estão espelhados no Ibovespa, como educação, saúde e tecnologia — diz.

DANIELLA MARQUES: aposta em companhias ligadas à economia local

DANIELLA MARQUES: aposta em companhias ligadas à economia local

Ela lembra que, até mesmo construção e varejo, que têm grandes chances de crescimento no ano, têm pesos inferiores a 5% e 10%, respectivamente, no Ibovespa. O índice é o principal referencial do mercado de ações.

O risco, no entanto, é que muitos desses papéis têm liquidez mais baixa, ou seja, menor volume de negociação. Desta forma, em um momento de crise acentuada, nem sempre é possível vender a ação com o preço e a velocidade esperados.

— Quando há grande nervosismo, como nos meses de setembro e novembro de 2008, a tendência é de que esses fundos sofram mais. Mas, em um momento positivo, eles têm maior potencial de valorização — diz o superintendente de investimentos do Santander Asset Management, Alexandre Silvério.

Segundo ele, é preciso que o investidor tenha em mente que esses fundos são mais alavancados. Silvério recomenda que a aplicação seja apenas uma parte do que o investidor destina à renda variável.

Mesmo sem ter um fundo específico de small caps, o gestor da Orbe Investimentos Fábio Carvalho busca oportunidades de ganhos nesses papéis:

— Elas podem voltar a níveis anteriores de valorização e até mesmo ultrapassar aqueles patamares, se estivermos falando de companhias sólidas.

Mas ele recomenda que o investidor evite entrar nesses papéis por conta própria, sem acompanhamento do gestor.

— As empresas mais líquidas são mais fáceis de acompanhar. Há bastantes relatórios disponíveis e muita informação circulando na mídia. As menores são mais difíceis.

O sucesso desses fundos, cuja captação líquida representa só 0,09% do patrimônio total da indústria, fez com que a Bovespa criasse um índice de Small Caps (SMLL). O indicador exclui ações de empresas que, juntas, representam mais de 85% da capitalização do mercado. Aos poucos, o SMLL está se tornando referência do segmento.

Alguns dos principais bancos de varejo já oferecem esse tipo de fundo, por meio de seus braços de investimento. Entre eles, BBDTVM, Santander Asset Management, HSBC e Bradesco.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Dez vezes mais energia

Posted on 24/08/2009. Filed under: Economia |

Mônica Tavares

As últimas quatro décadas foram determinantes para a consolidação do sistema energético nacional e, consequentemente, para a industrialização do país. Neste período, o Brasil deixou para trás uma fonte poluente e arcaica (o carvão vegetal), construiu a maior hidrelétrica do mundo, a binacional Itaipu, e entrou no campo da geração nuclear. Em 40 anos, a capacidade de produzir energia do país aumentou dez vezes, de 10.262 megawatts (MW), suficientes para iluminar apenas a Brasília de hoje, para 104.400 MW. E, hoje, 99% dos lares brasileiros têm luz elétrica.

Uma das marcas desse período é a ascensão das hidrelétricas, que produzem atualmente cerca de 78 mil MW da energia nacional a partir de 662 usinas. O destaque absoluto é a hidrelétrica binacional de Itaipu, no Rio Paraná, inaugurada em 1984. Seus 14 mil MW de potência abastecem 20% do mercado nacional e representam mais do que os quatro maiores projetos de hidrelétricas atualmente em execução no país. Somam-se à Itaipu mais sete gigantes de porte internacional, com mais de dois mil MW de potência, como Tucuruí, no Tocantins, Xingó, em Sergipe, e Ilha Solteira, em São Paulo.

Um pouco dessa história será analisada hoje no seminário “Cenários e Perspectivas para o Brasil”, com patrocínio da CNI. O seminário para convidados, no auditório do GLOBO, será em comemoração aos 40 anos do caderno de Economia do jornal.

Segundo Nelson Hubner, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), “praticamente tudo no setor aconteceu nestes 40 anos”:

— Construímos as grandes usinas e o sistema de transmissão

 Maria e Antônio Mesquita deixaram de andar uma hora até a casa da filha para ver televisão. A luz chegou em fevereiro

MARIA E ANTÔNIO MESQUITA deixaram de andar uma hora até a casa da filha para ver televisão. A luz chegou em fevereiroRacionamento parou o país em 2001

Com a segunda crise do petróleo, em 1979, o Estado brasileiro perdeu a capacidade de investir. A consequência veio duas décadas depois. Em março de 1999, a população de dez estados ficou sem luz durante 40 minutos. O apagão antecipava o pior cenário: a necessidade de racionamento de energia. Entre junho de 2001 e março de 2002, o racionamento travou a expansão do país.

O susto levou o governo a tentar garantir o fornecimento com as termelétricas. Hoje, esta é a segunda força geradora do país, com 995 unidades. O Brasil tem ainda 16 empreendimentos de geração eólica e duas usinas nucleares.

— A consolidação do parque gerador hidráulico e a privatização foram dois marcos importantes e positivos dos últimos 40 anos — disse Ricardo Lima, presidente-executivo da Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace).

A privatização começou em 1995 pelas distribuidoras. Light e Cerj (atual Ampla) foram vendidas em 1996 e dois anos depois, foi a vez da Eletropaulo. Na geração, só a Gerasul foi privatizada.

A distribuição de energia sempre foi um desafio que, no entanto, só vem sendo atacado na última década, com a participação privada. O Brasil tinha 87.568 quilômetros de linhas no Sistema Interligado Nacional em operação ao fim de 2008, o suficiente para ligar Lisboa a Moscou, diz Hubner, da Aneel. O objetivo do governo é que o sistema elétrico do país esteja 99,6% interligado a partir de 2011, quando ficará concluído o Linhão Norte (Tucuruí-Macapá-Manaus).

A conclusão da ligação com o Norte, aliada à saturação das bacias hidrográficas das demais áreas do país, fazem da Região Amazônica a nova fronteira hidrelétrica do Brasil. Os três maiores empreendimentos em curso no Brasil estão na floresta, com custos socioambientais elevados. As usinas de Santo Antonio e Jirau, no Rio Madeira, em Rondônia, somam 6.494 MW e foram licitadas em 2007 e 2008, respectivamente. A hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, com 11.181 MW, teve uma liminar que travava o processo de licitação derrubada há duas semanas. O potencial amazônico de geração chega a 112 mil MW — mais do que o país produz hoje.

Hoje, 57,9 milhões de lares têm luz

A construção das hidrelétricas e da malha de transmissão foi fundamental para levar eletricidade aos domicílios e negócios de todo o Brasil: este ano, 57,9 milhões de lares (99%) contam com o serviço, segundo a Aneel. O programa “Luz para Todos”, lançado em 2003, deu impulso à universalização. Seu objetivo, de levar energia a dez milhões de pessoas até o fim de 2008, foi alcançado em junho deste ano. Até setembro de 2010 fará mais um milhão de ligações.

O programa mudou a rotina da cearense Maria Moreira Mesquita, 64 anos. Moradora da comunidade Riacho do Meio, em Trairi, a 125 quilômetros de Fortaleza, ela costumava caminhar por uma hora até a casa da filha para ver televisão. Em fevereiro, pôde finalmente estrear sua TV de tela plana. Seu marido, Antônio, reclama da conta de luz de R$11 mensais, mas a mulher lembra dos benefícios.

— Ter água gelada é bem melhor.

COLABOROU: Isabela Martin

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Antiga Rua Larga pode recuperar seu prestígio

Posted on 21/08/2009. Filed under: Cidade, Rio de Janeiro |

Light e Cia City dão início a projeto com objetivo de revitalizar região, atraindo novas empresas e moradores

Nos arredores da Avenida Marechal Floriano: com o projeto, grupo estudará as condições dos prédios da região e a quem pertencem

Simone Candida

Vizinha da Zona Portuária e considerada um endereço nobre no passado, a região da Avenida Marechal Floriano (antiga Rua Larga), no Centro, vai ganhar um plano de revitalização. Ontem, a Light e a Cia City de Desenvolvimento assinaram um documento que dá início ao Projeto Rua Larga, cujo principal objetivo é recuperar a área, atraindo novas empresas e moradores. Segundo o presidente da Light, José Luiz Alquéres, o trabalho prevê estudos das condições urbanísticas, legais e culturais do lugar e, a partir dessa radiografia, a formulação de propostas para trazer de volta o prestígio da área, que tem importantes prédios históricos, como o Palácio do Itamaraty, o primeiro Colégio Pedro II, o Palácio Duque de Caxias e a Central do Brasil.

A Avenida Marechal Floriano e seu entorno não têm hoje nem 10% da população que ali vivia na década de 50. De acordo com um levantamento da Light, em 2008, cerca de 40 mil pessoas residiam por lá. Com o êxodo, 30% dos imóveis estão desabitados. Descobrir em que condições estão esses prédios (muitos se encontram degradados) e a quem pertencem é uma das tarefas do grupo que executará a primeira fase do projeto. Parte de um trabalho já iniciado pelo Instituto Light, que incluiu pesquisas e o lançamento de um livro sobre a Rua Larga, será analisada na primeira etapa.

Revitalização da Rua larga e arredores.

— Serão três etapas. Na primeira, que terá caráter mais urbanístico, faremos um estudo para entender a região. Já na segunda fase, que deve ser iniciada em janeiro de 2010, vamos descobrir como viabilizar esse plano, do ponto de vista legal e econômico. Na terceira, que deve começar em meados de 2010, será a vez de transformar os planos em opções de negócios e para isso teremos que contar com o Estado e com o apoio de investidores — disse o presidente da Light, que, por enquanto, prefere não divulgar quanto vai custar o trabalho.

Segundo o historiador Milton Teixeira, a Marechal Floriano é um pedaço do Rio antigo preservado no Centro:

— Ela foi a nossa primeira Presidente Vargas. Foi uma importante entrada e saída da cidade nos séculos XVI, XVII e XVIII. Hoje, é importante porque, além de ter prédios históricos, ali ainda se encontram estabelecimentos antigos que mostram como era o modo de vida e o cotidiano do carioca no passado — comenta.

Para elaborar o plano, a Light convidou a Cia City, responsável pela construção de bairros inteiros em São Paulo, como Jardim América, Alto de Pinheiros e Alto da Lapa. A empresa terá o desafio de criar um “bairro” que tenha lazer, comércio e moradias.

— Nosso papel é fazer um planejamento urbanístico do desenvolvimento desse perímetro. Teremos que encontrar um mix de uso comercial, residencial e de serviços — afirmou o presidente da Cia City, José Bicudo.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

Literatura de Machado de Assis em concerto

Posted on 20/08/2009. Filed under: Cultura, Segundo Caderno | Tags:, |

Fantasia musical baseada no livro ‘Dom Casmurro’ tem estreia carioca na sexta-feira

Eduardo Fradkin

AOrquestra Sinfônica Brasileira faz, nesta sexta-feira, a estreia carioca de uma obra que atrairá o interesse não só de quem gosta de música contemporânea, mas também dos amantes da literatura nacional. A fantasia musical “Olhos de Capitu”, composta por encomenda do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, onde foi apresentada no ano passado, centenário de Machado de Assis, é baseada no romance “Dom Casmurro”.

No Rio, ela ocupará o palco da Sala Cecília Meireles, cujo diretor, João Guilherme Ripper, também é o autor da música. Para ele, o concerto será um presente de aniversário que chegará no dia seguinte à data, já que ele completa 50 anos de idade amanhã.

— Eu quis extrair do livro os momentos em que Machado, por meio do personagem Bentinho, fala do fascínio dos olhos de Capitu. Mas não transformei o texto original em canções para não cometer o sacrilégio de interferir com o ritmo da narrativa, a retórica e a função de cada palavra que Machado botou no papel com maestria. Fiz questão de preservar a prosa dele, então escalei um ator-narrador para fazer o papel de Bentinho e recitar os trechos do livro sobre os quais fiz comentários musicais. A música sublinha o texto, às vezes explora o que está nas estrelinhas e, outras vezes, contradiz o que é dito, pois o próprio Machado deixa a entender que tudo pode ser o contrário do que está escrito — explica Ripper.

Ele conta que elaborou leitmotivs (temas musicais recorrentes) para os personagens.

— Bentinho tem um coral inspirado em Bach, que mostra esse lado religioso e moral dele. Capitu tem uma tema sinuoso, sensual. Há um momento em que os dois temas são superpostos. A dúvida que fica no ar de que Capitu possa ter traído Bentinho é expressa com uma dissonância musical — diz o compositor, que não foi o primeiro a musicar o romance, condensado numa ópera homônima por Ronaldo Miranda, estreada no Teatro Municipal de São Paulo em 1992.

Com cerca de 17 minutos, “Olhos de Capitu” é dividida em duas partes. Na segunda, a soprano francesa Michelle Canniccioni canta um texto de Ripper intitulado “Modinha para Machado”, sobre a concepção de Capitu. O concerto, com reprise no sábado, tem também as “Valsas nobres e sentimentais”, de Ravel, e “O chapéu de três pontas”, de De Falla.

Ler Post Completo | Make a Comment ( None so far )

« Entradas Anteriores

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...